segunda-feira, 5 de agosto de 2013

COMO CONTROLAR OS GASTOS EMPRESARIAIS?

Vivemos em um mundo onde está tudo mais caro, a cada dia. Isso é fato. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor – IPCA, o qual mede a inflação oficial do País, fechou junho com um acumulado de 3,15% e, em 12 meses, de 6,7% – ultrapassando o teto da meta de inflação do governo federal. Esse é o maior índice desde outubro de 2011, quando chegara a 6,97%.
Por isso, economizar dinheiro deveria ser o objetivo de todas as pessoas, físicas e jurídicas. Muitas vezes, uma roupa nova, um carro ou uma viagem tornam-se prioridades em nossas vidas, mas podemos nos deparar com problemas que não estávamos imaginando que teríamos: o de gastar mais do que devemos. A questão é muito comum na vida pessoal, e claro, na empresarial. Quantos negócios já não tiveram que fechar suas portas porque os gastos se tornam maiores que os lucros?
O empresário que não faz um planejamento adequado está fadado à falência logo nos primeiros anos. Inclusive, o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT divulgou em abril deste ano que tanto a falta de planejamento quanto a ausência de informações do mercado representa a principal causa do desaparecimento das micro e pequenas empresas brasileiras – MPEs. Segundo o estudo, 42% das falências das MPEs são atribuídas à falta de planos. O problema é acompanhado pela complexidade tributária e burocracias (16,51%); dificuldade de acesso ao crédito financeiro e a investimentos (14,43%); tecnologias de gestão complexas e de alto custo (11,76%); e brigas familiares ou de sócios (6,65%). Para agravar ainda mais a situação, tais problemas têm maior probabilidade de por fim aos negócios no primeiro ano de vida.
Para evitar esse tipo de situação desagradável, é recomendável fazer um planejamento de contas e um trabalho de coaching, um processo definido com um acordo entre o coach (profissional) e o coachee (cliente) para atingir um objetivo central desejado pelo cliente. Essa atividade é realizada por meio de reflexões e análises das opções e da identificação das próprias competências. Com o coaching, será possível obter uma orientação clara e eficaz sobre como aumentar lucros e diminuir gastos desnecessários. Um bom planejamento financeiro deve ser aplicado e estudado durante todo o decorrer do ano.
Vale lembrar que é muito mais fácil falar em economizar dinheiro do que agir. Economizar dinheiro é o oposto de gastar. Quem deseja poupar e manter os gastos sob controle deve definir metas realistas. A primeira coisa a ser feita nesse planejamento é liquidar as dívidas: quanto mais cedo se acaba com os débitos, menos juros são pagos. Ou seja: é dinheiro que pode ser economizado. Outra dica é manter um registro das despesas: é preciso deixar claro tudo que é lucro e tudo o que é prejuízo; tudo o que se ganha e o que se gasta. Provavelmente aparecerão cortes fáceis de serem feitos.
Saber onde investir o dinheiro também é muito importante. É aconselhável ter um especialista por perto para avaliar qual investimento pode ser mais lucrativo. Outro conselho é motivar os funcionários, sendo justo com seus honorários, e contratar o número essencial de colaboradores – nem mais, nem menos. Para isso, o empresário deve conhecer muito bem a sua demanda de trabalho.
O planejamento financeiro e o controle de gastos não podem continuar a ser um tabu para as empresas, principalmente as de pequeno porte, as quais não têm informações suficientes sobre metas orçamentárias: aqueles que começam investindo de maneira errada dificilmente conseguem recuperar os lucros com o decorrer dos meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário